6.8.10

Des-envolver

Já recebi muitos emails de pessoas que espontaneamente contam suas experiências de vida, dividem seus cansaços com o excesso de trabalho, insatisfação com a falta de tempo de fazer aquilo que sonham e gostam.. compartilham suas angústias e medos. Outros perguntam como fazer pra largar tudo e começar um trabalho novo, outros escolhem me contar uma tragédia pessoal e pedem a 'receita' pronta de como ser feliz novamente.

Alguns emails eu respondi outros simplesmente ignorei. Por alguns senti uma profunda admiração, compaixão e respeito e por outros não senti nada. Não quer dizer que eu desejo o bem ou o mal, nesta dualidade sempre nos imposta.. mas penso numa identificação mais profunda. 

Penso que ao longo da nossa vida vamos formando uma espécie de personagem.. que vem sendo moldado desde pequenininhos.. o que farei? que profissão vou seguir? que faculdade farei? e vamos nos moldando pelas nossas escolhas e caminhos que percorremos... o trabalho que exerço me classifica. Pensa um pouco na conversa que você geralmente tem com um desconhecido, uma das primeiras perguntas é: O que você faz? Eu sou médico.. eu sou psicólogo.. eu sou arquiteto, sou isto ou sou aquilo. Eu não sou a fulaninha que curte cuidar da horta, fazer uma comida gostosa, sair e tomar um sorvete. Antes de tudo, eu sou aquela função que eu exerço.

Mas e se eu chegar num determinado momento da minha vida e perceber que aquela tal função que eu ocupo, o cargo que eu exerço já não me satisfaz? Perceber que aquilo que lhe fazia feliz e que te definia não te define mais? Uns simplesmente ignoram este caminhão de dúvidas, medos, incertezas, angústias, vazios que vem junto com esta constatação e simplesmente continuam tocando suas funções. Não julgo pq dá sim muito medo.

Esta constatação não se dá de uma hora pra outra.. ela vem vindo de mansinho, vem crescendo e tomando proporções que te colocam em situações que você se pergunta: E agora, José?

Antes de sair fazendo o novo, você precisa se desconhecer..você se desconhece naquela função.. você não é mais aquele personagem..ele quer mudar de nome, de lugar, de roupas..ele cansou das mesmas histórias, das mesmas atividades, das mesmas funções.. Você vai perceber que você precisa primeiro saber quem você não é para então saber quem você é.

E aqui eu coloco um trecho do texto da Eliane Brum, autora que me foi apresentada pelo meu querido amigo: "Ou seja: é preciso ser capaz de olhar para nós mesmos com estranhamento para que possamos enxergar possibilidades que um olhar viciado tornaria invisíveis. Este é o processo de se desconhecer como uma forma mais profunda de se conhecer. Para novamente se desconhecer e assim por diante. Exige muita coragem. Porque dá um medo danado."

E agora você me pergunta: Aonde tudo isto vai terminar? Simplesmente não sei.. e acho bom não saber! Mas de uma coisa eu tenho certeza.. cada história é única e cada pessoa é única.. Tenho uma outra certeza: o que eu construí, o que eu aprendi, o que eu vivi e o que eu sou, não importando pra onde irei, pra qual caminho seguirei... sempre irá comigo, carregado dentro de mim...

E pra terminar uma outra frase da minha mais nova autora preferida, Eliana Brum: " temos uma vida só, mas dentro dessa, podemos viver muitas. E eu quero todas as minhas."

Respire e siga! Mesmo no meio de tantas pedras você será capaz de encontrar a beleza.



Aos emails não respondidos anteriormente.. segue minha resposta!
Um beijo com carinho, Glau

Ps: Ficarei ausente por alguns (muitos) dias.. As postagens vão diminuir, ok? 

22 comentários:

Thaissa disse...

Glau, vc disse tudo que eu penso, mas eu não saberia me expressar tão bem!! Esse post é para eu ler todos os dias!! Amei!! Só não gostei de saber que vc vai dar uma sumidinha...snif.
Não quero ficar sem essa atividade tão prazerosa do meu dia que é entrar no seu blog!!
Bjooo

Carolina disse...

Ser sempre igual, e não mudar nada, é chato ! O legal é se descobrir a cada dia, e ver que vc não é capaz de fazer somente uma coisa, mas sim várias, e que vc tem multi facetas ! É isso que torna cada pessoa especial e interessante ! E viva a diversidade, as descobertas e auto-conhecimento ! Cada dia descubro uma coisa nova em mim, nesse momento me descobri MÃE ! e ví que sou boa nisso, mas amanhã posso voltar a me descobrir aluna de veterinaria, dançarina, cantora ... Existe um leque de possibilidades ... O que importa é não ter medo e seguir em frente ! Alcançar a felicidade é o que importa ! Beijos

Thiara Ney disse...

Vc vem pra SP??? Vamos nos ver???
Assino embaixo de tudo o que vc escreveu. E às vezes não respondo os emails por pura preguiça de escrever tanto, rs.
Hj quando me perguntam "o que vc faz?", eu já nem sei mais o que responder. Eu faço tudo, ué.
Bjos! Saudade!

Andrea Zakarewicz disse...

O mais legal é você perceber que sempre é hora, sempre é possível. E acreditar! Muitas vezes é tão dificil acreditar que somos capazes... mas aprendi que esse é um exercício diário e como vale a pena!! É saber ouvir o coração, de verdade.
ADORO seu blog, a sua maneira de escrever, as fotos, tudo!
Não deixa a gente por muito tempo, viu? Vamos sentir saudades!

Thaissa disse...

Concordo com a Carolina. Eu me descubro todos os dias! Sou outra pessoa a cada dia... Como digo no meu blog: Sou de fases!
Não foi fácil, pra mim, deixar tudo que investi pra trás! Mas, depois que assumimos que não queremos mais ser "aquilo" a vida MUDA pra melhor! Ficamos mais leve e muito mais felizes! A vida começa a andar pra frente!!

Bió disse...

Puxa, Glau, sentirei falta dos seus posts, que para mim já fazem parte das coisas que gosto e faço questão de ver todos os dias!
E por outro lado vejo que não sou a única a parar e questionar tudo o que vinha fazendo. De minha parte, vejo que essa aparente crise me livrou de todo o medo que eu tinha de frustrar as pessoas e de me embrenhar num mundo todo novo, de novo! E foi assim que depois de terminar dar aulas por vários anos e terminar um pós-doc, fechei o livro, respirei fundo e comecei a escrever outro.
Se alguém se frustrou com isso? Vejo que algumas pessoas sim, mas isso é uma questão que elas precisarão resolver com elas mesmas, afinal não se pode colocar as suas expectativas na vida de outras pessoas... Só o que importa para mim é que estou imensamente mais feliz!
E é isso que desejo a você também, seja lá o caminho que você encontre!
Um abraço e, se der, não demore demais a voltar...

Patrícia disse...

Sabe Glau, eu fiz isso, mudei completamente de atividade, e resolvi que ia ganhar minha vida com o que mais gosto de fazer que é cozinhar, fui atrás. As vezes me pergunto se fiz a coisa certa; mais a verdade é que nunca estamos completamente satisfeitos e sempre estamos buscando mais e mais...hj de manhã enquanto tomava café com minha irmã falava a ela justamente disso, quero fazer tal curso tal faculdade, to frustrada, o que eu faço? E esse post acalentou meu coração. Obrigada

Figos & Funghis disse...

Que lindo seu exto Glau! Amei querida! É isso mesmo, a vida de cada pessoa é diferente e somente nós mesmos somos capazes que enxergar o que há em nosso interior. Não há fórmula, não há mágica, a vida é assim, e por isso mesmo é que ela tem graça!
Que história é essa de muitos dias fora? Não some não!

P.S. Ontem postei no blog o brownie da Martha que você também fez outro dia. Quando ví aqui me lembrei de uma revista antiga que tenho e resolvi fazer, mas coloquei manteiga de amendoim e pecã. Que delícia esta receita né?!

Beijinhos,
Fabi

Déia disse...

Glau, adorei o post...Sou fã da Eliane Brum desde os tempos da faculdade:)
Belas, e Sábias, palavras!
Bjoka grande e inté breve!
Déia

Mi disse...

oi Glau,
que gostoso seu post. Acho que ainda não te disse, mas sou muito grata por ter respondido aquele meu e-mail maluco. Eu estava tão confusa e triste... ainda continuo um pouco confusa, mas não mais triste. Seu post hoje fechou mais algumas lacuninha na minha cabeça. Não importa muito para que lado eu siga, ou se mude muitas vezes de rumo, desde que eu esteja fazendo o que me preenche naquele momento. Levei minha vida séria demais durante tempo demais, e acabei deixando de aproveitar "o seguir". Continuo seguindo, mas não estou mais disposta a abrir mão do prazer que isso pode me proporcionar.
Eu também quero todas as minhas vidas...
bjsssss,
Mi

Claudia disse...

Glau,

Adorei teu texto, gamou na Eliane, hein?

Ô, meu computador travou direto todas as vezes que entrou no Quitandoca na última semana, você instalou alguma traquitana nova nele? Precisei recomeçar todas as vezes e aí na segunda vez entra.

Bj,

Clau

Milena disse...

Viajar dentro de nós mesmos requer muito mais coragem do que qualquer outra coisa.Porque quase sempre vemos o que não queríamos ver e pode ser feio e assustador,mas se não for assim,como mudar????
Pior é conhecer pessoas que estão paradas no mesmo jeito,sem conseguir fazer uma auto-crítica e achando sempre que a culpa está nos outros.
Bj e até a volta,

Kris Nardini disse...

Glau, me identifiquei muito com o que você escreveu. Mexeu de verdade.
Espero que você fique sumida por motivos bons porque do contrário sentiremos falta!

Beijos

trecos e apetrechos da Fran disse...

Te entendo perfeitamente, adorei o texto.
Tudo muda o tempo todo, nós também vivemos em constantes mudanças e é isso que nos faz crescer.
BJS

Letrícia disse...

Lindona, espero que você esteja bem e que esse tempo em que estiver afastada seja muito positivo. Você é uma moça muito sabida :-)

Beijos!

Luciana Penido disse...

Glau acho que você consegui expressar em palavras o que muito de nós ja sentiu ou vai sentir um dia.O melhor disso tudo é esse 'inquietamento' que não pode parar, se não estou satisfeito com algo preciso mudar.Bjs, boa sorte,so vc pode fazer as suas escolhas!!!

Tricia disse...

Glau que texto lindo! Acho que estou me "desconhecendo" aos poucos e estou adorando! A foto matou a pau. Bjs. Tricia

✿ Tati Pimentel ✿ disse...

Glau!!
Vc tem toda a razão!! É muito difícil mudarmos de caminho, sairmos da rotina...mas, se assim não fizermos, nunca descobriremos quem realmente somos!! A nossa felicidade está exatamente aí!!!
Há alguns meses atrás, ainda que com muito medo, mudei meu caminho, e hj me descobri uma mulher muito mais feliz!!
Mil bjs,
Tati.

Chris disse...

Glaucia,
acho que era tudo o que eu estava precisando ler hoje...só posso te agradecer e que vc continue sempre presenteando as pessoas com textos tão legais!!!Não some...volte logo a dar boas novas!!!
Bjim Chris

Katia Bonfadini disse...

Lindo texto e linda foto, Glau! E haja coragem!!!!! Amei a frase e acho que estou passando por essa fase nesse momento... me estranhando e reavaliando minhas prioridades, meus sonhos e desejos mais profundos. Acho que não é bom nem ruim, mas com certeza, é desconcertante... Beijão!

zac disse...

Eu adoro a Eliane e, bom, eu sou phd em começar de novo.
:)
Gosto muito de ti, Glau.
Um beijo

danibossle disse...

Conheci seu blog recentemente, uma amiga me apresentou ( de um jeito meio torto rsrsrsr, até engraçado). Tenho feito várias incursões por ele, gosto muito do jeito como você coloca as coisas e suas fotos são lindas, mas confesso que este texto me tocou em especial. Tenho travado uma luta com o personagem que moldei.E olha que tá difícil pra caramba, mesmo com toda toda ajuda que recebo não tem sido nada fácil. O mais difícil foi perceber o que não sou, o que não estou e me "re-conhecer". Um longo caminho. Mas é isso aí. Vou nele. Esse texto veio em boa hora pra mim! Obrigada.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin